10 Mandamentos do Bom Cipeiro

O termo “cipeiro” foi adotado carinhosamente e refere-se ao profissional que compõe a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), daí o nome “cipeiro”.

A CIPA é composta por representantes do empregador e dos empregados, que tem como objetivo à prevenção dos acidentes e das doenças ocupacionais, de modo a tornar constantemente compatível o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

Diante disso, os membros da CIPA devem ser comprometidos com os objetivos da mesma, para isso listamos os 10 mandamentos do bom cipeiro. Confira a seguir.

1. Planejamento

Qualquer ação da CIPA deve ser planejada, para que os resultados sejam positivos, isto é, deve haver planejamento na identificação dos riscos no processo de trabalho e na elaboração do mapa de riscos, bem como nas verificações constantes nos ambientes e nas condições de trabalho.

Além disso, deve haver planejamento na colaboração no desenvolvimento e implementação dos programas relacionados à Segurança e Saúde do Trabalho (SST). Tal quanto, na realização de palestras, reuniões, eventos, campanhas, intervenções, parcerias, etc.

O planejamento é o primeiro dos mandamentos do bom cipeiro, justamente porque ele deve estar integrado aos demais, pois sem planos prévios, as ações ficam desorganizadas, desfocadas e sem metas, com isso a perda da efetividade da CIPA.

2. Percepção

O bom cipeiro deve ter a habilidade de perceber as peculiaridades do dia a dia de trabalho, visando prevenir à ocorrência dos acidentes e das doenças ocupacionais.

Um cipeiro que possui boa percepção irá detectar precocemente, por exemplo:

  • Funcionários que não utilizam EPI adequadamente;
  • Incidência de problemas emocionais em determinados setores;
  • Inadequação no ambiente de trabalho;
  • Falta de manutenção de máquinas e equipamentos;
  • Entre outros.

3. Comunicação

Um dos mais importantes mandamentos do bom cipeiro é a comunicação.

A comunicação inclui saber ouvir e orientar os trabalhadores, assim como responder questionamentos, dúvidas, anotar sugestões e reivindicações.

A comunicação é um dos principais elos entre os cipeiros e os demais trabalhadores, possibilitando o conhecimento e a identificação dos possíveis riscos presentes no ambiente de trabalho, além disso a detecção dos problemas emocionais e dos sintomas fisiológicos que alguns funcionários possam apresentar no ambiente laboral.

4. Regras sem exceção

O bom cipeiro segue e incentiva o cumprimento das disposições legais e regulamentares sobre segurança e saúde no trabalho, não concordando com exceções ou maneiras de burlar as regras, pois ao permiti-las, abrem-se brechas para a ocorrência de acidentes e doenças ocupacionais, bem como a outras infrações e transtornos.

5. Prevenção

O bom cipeiro prioriza e promove constantemente as medidas preventivas, identificando os riscos do processo de trabalho e as situações que venham a trazer riscos à segurança e saúde dos trabalhadores.

6. Escolher os melhores recursos

Um dos mandamentos do bom cipeiro é sempre buscar, juntamente com o SESMT (onde houver), as melhores opções para o empregador e empregados, não se contentando com alternativas que sejam de mais fácil aquisição ou baixo custo, porém ineficientes nos quesitos relacionados à qualidade, segurança e saúde do trabalhador.

Por isso, a importância do cipeiro manter-se sempre atualizado, realizando cursos, treinamentos, participando de palestras, eventos, lendo bons textos e frequentemente, buscando informações com outros profissionais.

7. Eficiência

O bom cipeiro deve sempre buscar realizar as suas atribuições com eficiência, ética e moral.

8. Participação

Os membros da CIPA devem ser comprometidos com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador, tal como participar e ajudar na organização de eventos, campanhas, mobilizações, nos programas de SST, etc.

9. Organização e delegação

O bom cipeiro deve ser organizado, para executar as atribuições que lhe forem delegadas com disciplina e competência.

Além disso, é importante respeitar as atribuições legais estabelecidas a cada membro da CIPA, evitando assim a sobrecarga de determinados membros da CIPA, tal como o desenvolvimento ineficiente das ações da CIPA em prol dos empregados e empregadores.

10. Avaliação

Vale enfatizar que todos os mandamentos do bom cipeiro são integrados, não havendo uma ordem a ser seguida. Além disso, a avaliação não deve ser feita somente na conclusão de uma exclusiva ação da CIPA, mas sim de todas as ações ao decorrer do mandato.

Por isso, a importância dos membros da CIPA sempre realizarem avaliações dos dados e resultados obtidos, afim de estabelecer cada vez mais melhorias no ambiente de trabalho.

Compartilhar o texto:

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − sete =

Utilizamos cookies para melhorar o desempenho e a utilização do site. Saiba mais