DDS – Quanto vale a sua vida?

Primeiramente, devemos diferenciar preço de valor, só assim será possível responder à pergunta: Quanto vale a sua vida?. Preço é algo que alguém coloca em um objeto, ação, serviço, imóvel, enfim, é baseado nos custos e lucros que estão por trás do cálculo final. Já o valor é algo mais complexo, é baseado em toda a história de vida de cada um, o valor é algo que você mesmo coloca não apenas nas coisas que compra, mas em tudo o que compõe a vida, desde objetos até os valores mais importantes e superiores da existência humana.

Mas o valor inserido na pergunta que queremos responder é ainda mais profundo, trata-se de quanto vale a sua vida. Só de pensarmos a vida, esta pergunta já se torna complexa para você mesmo responder. Provavelmente, ao escutar tal questionamento, a primeira coisa que lhe vem à mente é sobre o que é a vida? E nos deparamos com uma observação de que o conceito de vida está sempre atrelado ao conceito de morte.

Em outras palavras, quando buscamos pensar no valor da vida, logo pensamos na possibilidade de morte e o quanto este valor depende da forma como você vive tentando afastar a hora da morte.

Portanto, se você valoriza muito a sua vida, você previne-se contra doenças, mantém bons hábitos, protege-se de riscos, antecipa ações para evitar perigos, observa o mundo a sua volta. Já as pessoas que não valorizam tanto a vida, são pessoas que mesmo sem perceber arriscam-se frequentemente, se envolvem em situações de risco, se expõem aos perigos, negligenciam a saúde, se relacionam de forma desagradável, não se preocupam com a segurança.

Se pensarmos ainda mais profundamente, podemos comparar o valor que a figura materna, ou seja, nossa mãe, uma avó ou mesmo uma esposa dá a nossa vida e o quanto vale a sua vida para você mesmo. Muitas vezes esta pessoa valoriza, cuida e se preocupa muito mais com a nossa vida do que nós mesmos e pensando nisso, podemos nos questionar ainda sobre a consideração que devemos dar a quem nos valoriza, isto é, se nossa família se preocupa conosco, devemos amenizar esta preocupação passando a nos valorizar e cuidar mais.

Valorizar a vida não é o mesmo que temer a morte, mas sim evitar que a morte venha cedo demais e te impeça de construir uma vida importante e ser importante, é ter pessoas que se importam com você. E morte não é deixar de existir, morre-se não quando o coração para de bater, mas quando seu legado torna-se banal e invisível. Por isso, para valorizar sua vida, é preciso fazer a diferença no trabalho, na família, na sociedade.

Pessoas banais vivem um dia de cada vez e acreditam que isto é viver de verdade, porém isto é viver sem valorizar o amanhã e não ter a perspectiva do amanhã. Por outro lado, se você cuida da sua saúde significa que você quer estar vivo e com qualidade de vida enquanto durar o amanhã.

Portanto, cuide-se para ter uma vida com qualidade e não uma vida que aparentemente é aproveitada. Porque no final você será lembrado não pelas coisas que comeu, bebeu, fumou, pelos perigos que passou, mas pelo modo como você se relacionou consigo mesmo e com as outras pessoas.

Agora, veja se você concorda ou não com as questões a seguir e assim conseguir responder quanto vale a sua vida:

1. Você fuma?
2. Você come mais do que necessita?
3. Você consome álcool frequentemente?
4. Você faz brincadeiras no local de trabalho?
5. Você dirige sem cinto de segurança?
6. Você utiliza corretamente os equipamentos de segurança no seu trabalho?
7. Você tem uma alimentação balanceada?
8. Você pratica atividade física?
9. Você verifica com atenção os riscos no ambiente de trabalho?
10. Você executa as atividades laborais da forma correta?

Se você respondeu sim na maioria das perguntas de 1 a 5 e não nas demais, provavelmente você não valoriza muito a sua vida. Por outro lado, se você respondeu não nas cinco primeiras e sim na maioria das perguntas de 6 a 10, provavelmente, você é uma pessoa que sabe o quanto vale a sua vida, cuida bem dela e valoriza ela.

Veja também

Comentário

CAPTCHA