Riscos Ergonômicos


O que são Riscos Ergonômicos?

Os Riscos Ergonômicos originam-se da ausência ou da péssima adequação do ambiente de trabalho ao homem, podendo assim ocasionar graves problemas psicológicos e fisiológicos ao trabalhador, assim como a redução da sua segurança e produtividade.

No âmbito da prevenção contra os riscos ergonômicos, a norma regulamentadora nº 17 (ergonomia), juntamente com outras normas técnicas estabelecem parâmetros que permitem a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar o máximo de conforto, segurança e produtividade.

⇒ Leia também: O que é Ergonomia?

Quais são os riscos ergonômicos?

São considerados como riscos ergonômicos, os seguintes aspectos:

  • Esforço físico intenso;
  • Levantamento e transporte manual de peso;
  • Exigência de postura inadequada;
  • Controle rígido de produtividade;
  • Imposição de ritmos excessivos;
  • Trabalho em turno e noturno;
  • Jornada de trabalho prolongadas;
  • Monotonia e repetitividade;
  • Outras situações causadoras de stress físico e/ou psíquico.

⇒ Leia também: Riscos de Acidentes e Ergonômicos no PPRA.

Riscos ergonômicos no ambiente de trabalho

Como abordarmos anteriormente, os riscos ergonômicos são ocasionados pela inexistência ou a péssima adequação do ambiente de trabalho ao trabalhador, bem como por fatores internos (aspectos psicológicos e comportamentais) e fatores externos (aspectos organizacionais e estruturais).

De modo que, para a eliminação ou a minimização considerável dos riscos ergonômicos do ambiente de trabalho é importante realizar um estudo mais detalhado dos possíveis riscos ergonômicos presentes nos locais de trabalho. Desse modo, o subitem 17.1.2 da norma regulamentadora nº 17 do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, estabelece que:

17.1.2. Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora.

Portanto, é altamente recomendável a realização da Análise Ergonômica do Trabalho – AET. E assim, proporcionar aos trabalhadores um maior bem-estar, segurança e saúde no trabalho, tal como ao empregador quanto à eliminação e/ou redução do número de problemas, como: ações trabalhistas contra a empresa, a redução da produtividade, o afastamento de funcionários por motivo de lesões por esforços repetitivos, doenças osteomusculares, etc.


Veja também

Uma ideia sobre “Riscos Ergonômicos

  1. Anderson Clayton dos Santos

    Poucas empresas se preocupam com os riscos psicofisiológicos do colaborador. E é onde ocorre muitos processos trabalhistas e acidentes. Portanto, a iniciativa do Blog da Segurança de nos informar de maneira contundente acerca de determinada norma, nos faz ter a convicção que estamos bem informados. Muito obrigado!

    Responder

Comentário