O que é Dano Moral no Trabalho?

Confira quais atitudes podem caracterizar dano moral no trabalho.

Humilhações, ofensas, vigilância cerrada, metas inatingíveis… Infelizmente, esse tipo de prática ainda é muito comum nas empresas brasileiras. Embora o poder diretivo atribuído pela CLT ao empregador permita que este cobre e fiscalize a prestação de serviços e até mesmo aplique punições disciplinares quando necessário, tais atitudes devem sempre obedecer os limites do bom senso e respeitar a dignidade e integridade do trabalhador.

Confira o que é e quando pode ser caracterizado o dano moral no trabalho e o que fazer se você for vítima.

O que é Dano Moral?

O conceito de dano moral foi uma novidade introduzida no ordenamento jurídico brasileiro pelo Código Civil de 2002. Assim dispõe o artigo 186:

Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.

O artigo 926 do Código Civil determina que todo aquele que cometer ato ilícito e causar dano a outrem é obrigado a repará-lo.

Considera-se dano moral todo ato que agride a honra, a dignidade ou a imagem de uma pessoa, capaz de causar intenso sofrimento, vergonha e desequilíbrio em seu bem-estar. Quando esse tipo de comportamento ocorre repetidas vezes, pode caracterizar assédio moral.

Vale lembrar que para caracterizar o dano moral é necessário que haja uma situação de extrema dor psíquica ou humilhação. Dessa forma, intrigas e fofocas corriqueiras no ambiente de trabalho – via de regra – não são consideradas capazes de ocasionar dano moral.

Kit SST

Exemplos de Dano Moral no Trabalho

Entre infinitas hipóteses que podem gerar indenização por dano moral no ambiente de trabalho, podemos citar:

  • Humilhações em público ou em particular;
  • Ridicularizar o empregado diante de terceiros;
  • Colocar filmadora em ambientes privados, como banheiros e vestiários;
  • Revistas vexatórias nos pertences do empregado;
  • Revista íntima;
  • Vigilância exagerada e injustificada;
  • Ofensas e palavras de baixo calão;
  • Assédio sexual;
  • Acidente de trabalho por culpa do empregador;
  • Práticas discriminatórias de qualquer espécie;
  • Agressão física;
  • Condições de trabalho degradantes;
  • Constrangimento ilegal (exemplo: algemar suspeito de furto);
  • Estipulação de metas inatingíveis.

Dano moral no Trabalho: O que fazer?

O trabalhador que for vítima de dano moral no trabalho está autorizado a rescindir o trabalho por justa causa do empregador, situação em que fará jus a todos os direitos trabalhistas que teria se tivesse sido demitido sem justa causa.

Para comprovar o dano moral, é essencial juntar o maior número possível de provas, desde gravações telefônicas, e-mails, circulares internos e testemunhas. A indenização por dano moral deve ser pleiteada na Justiça do Trabalho, preferencialmente com acompanhamento do sindicato e/ou de um advogado.

Compartilhar o texto:

4 Comentários

  1. Teoria é uma coisa pratica é outra e infelizmente muitos empresários mo Brasil compram os advogados dos lesados e juristas com processo em fase de transição. Brasil tudo é possivel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 2 =