DDS Doação de Sangue

O sangue é o condutor dos nutrientes de que o organismo necessita para se manter em funcionamento, além disso é o responsável pelas defesas. Portanto, o sangue é um tecido vital, insubstituível por qualquer outro líquido e impossível de ser fabricado em laboratório.

Muitas pessoas de todas as faixas etárias enfrentam doenças e condições cujos tratamentos dependem da doação de sangue. Este DDS doação de sangue se propõe à reflexão do porquê de doar sangue, também traz informações esclarecendo como funciona a doação e aponta os mitos e as verdades sobre o processo.

Porque doar sangue?

A transfusão de sangue pode ser a única chance de algumas pessoas, por isso a doação de sangue é um ato voluntário que pode salvar muitas vidas. Percebe-se que o principal motivo para doar sangue é realmente ajudar a salvar vidas.

É mais apropriado que este DDS doação de sangue questione porque não doar sangue?. Não há motivo mais nobre para doar do que a solidariedade, por outro lado, não vemos motivo plausível para não doar.

Como funciona a doação de sangue

Primeiramente, o doador realiza um cadastro rápido no Banco de sangue feito na recepção da própria clínica, para este cadastro é preciso apresentar um documento de identificação com foto, ou seja, RG, Carteira de Trabalho (CPTS) ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Posteriormente, o voluntário é encaminhado para uma sala de triagem, onde é feita uma breve entrevista, na qual são coletados dados clínicos e informações sobre a saúde. Somente com base nesta entrevista, o doador passa para a próxima etapa, na qual é aferida a pressão arterial, verificados o peso e altura e feito o teste hematócrito.

Uma vez que a triagem mostre que o voluntário é apto para ser doador, o mesmo é dirigido à sala de coleta de sangue, é coletada uma quantidade equivalente a 450 ml, que é proporcionalmente pequena em relação ao volume total de sangue que um adulto possui.

Os instrumentos utilizados são estéreis e descartáveis e os profissionais são qualificados para este fim. Agora que as etapas foram descritas neste DDS doação de sangue podemos perceber que o processo é bastante simples e rápido.

Requisitos para doar sangue

Há requisitos que determinam quem pode ser doador de sangue, veja:

  • Ter entre 16 e 69 anos de idade: sendo que a idade máxima para a primeira doação é 60 anos e menores de 18 anos devem doar acompanhados do responsável;
  • Ter, no mínimo, 50 Kg;
  • É preciso estar em boas condições de saúde;
  • É preciso estar descansado;
  • É preciso estar alimentado, isto é, a coleta não é feita em jejum. Mas recomenda-se não ingerir alimentos gordurosos antes da coleta.
Quem não pode doar sangue

Assim como este DDS doação de sangue traz os requisitos para ser doador, o mesmo deve também apontar o que impede alguém de ser doador:

  • Quem fez recentemente alguma cirurgia;
  • Quem estiver grávida ou amamentando;
  • Quem ingeriu bebida alcoólica nas últimas 12 horas antes da coleta;
  • Quem fez tatuagem ou piercing nos últimos 6 meses;
  • Quem esteve com febre, diarreia, conjuntivite ou com gripe na última semana;
  • Quem recebeu vacina nas últimas semanas;
  • Quem manteve relação sexual sem proteção ou com muitos parceiros no último ano;
  • Quem possui o vírus HIV ou tem diabetes;
  • Quem já teve chagas, hepatite, hanseníase, tuberculose, malária ou câncer.
Mitos sobre a doação de sangue

Algumas informações equivocadas são passadas popularmente e acaba fazendo com que muitas pessoas deixem de doar sangue. Mas este DDS doação de sangue irá desmistificar estas informações.

É mito que o sangue irá engrossar ou afinar após a doação e mito também, que a doação contribui com o entupimento de veias, com o desenvolvimento de anemia ou com a insuficiência de sangue. Outro mito é que doar sangue engorda ou emagrece.

Muitas pessoas deixam de doar sangue acreditando que irão viciar em doar ou que serão obrigadas a continuar doando periodicamente para o resto da vida, ambas as considerações também são mitos. Doar sangue não é obrigatório, mas é um ato solidário.

Qual o destino do sangue doado?

Acreditamos que um DDS doação de sangue como este deve informar sobre o que é feito com o sangue após a coleta. O sangue coletado é direcionado ao laboratório para que sejam feitos os exames sorológicos, a tipagem sanguínea e a separação dos componentes do sangue e assim, ser destinado para diferentes pessoas de acordo com a necessidade de cada um.

Ou seja, há pacientes que necessitam apenas das plaquetas, outros apenas do plasma, enfim, há também quem precise receber transfusão, são os casos de câncer, tumores, perda sanguínea, etc. Desta forma, uma coleta pode beneficiar mais de um paciente.

Cuidados pós-doação

Uma das dúvidas mais frequentes é sobre os cuidados que devem ser feitos após a doação e este DDS doação de sangue traz a resposta a seguir:

  • Ingerir bastante líquido para a reposição do volume de sangue;
  • Permanecer no local de coleta por 15 a 20 minutos e realizar um lanche;
  • Não realizar esforço físico no dia da doação;
  • Ter alimentação rica em minerais, proteínas e vitaminas;
  • Não fumar por pelo menos 2 horas.

Gostou do DDS Doação de Sangue? Então, acompanhe o Blog Segurança do Trabalho pelas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram e Google plus.

Veja também

Comentário