Como os estilos de liderança interferem no bem-estar do trabalhador?

Nas organizações, inevitavelmente, existe uma hierarquia que consiste basicamente no nível dos líderes e os seguidores. Entende-se por líder o indivíduo capaz de inspirar e engajar seus seguidores, capaz de vislumbrar o futuro e traçar uma direção eficaz.

Para se tornar um líder não é preciso apresentar características inatas, é possível desenvolver o perfil de liderança. Além disso, há diversos estilos de liderança, os quais envolvem diferentes características e modo de liderar.

Continue a leitura se você pretende entender melhor sobre este assunto!

O que é liderança?

Um líder é responsável por traçar metas e encontrar a melhor forma de levar o grupo a alcançá-las. Estas metas incluem não somente os resultados de uma empresa, mas também a comunicação, o relacionamento, as recompensas, a administração de conflitos, o reconhecimento.

Enfim, todos os aspectos que envolvem um grupo deve ser uma preocupação do líder, independentemente dos estilos de liderança.

É importante compreender nem sempre um líder é um administrador, ele pode ser um membro de uma equipe que se sobressai na capacidade de inspiração dos demais membros.

Quais os principais estilos de liderança?

Vimos que há diversos estilos de liderança, cada qual com suas características e objetivos, não há um estilo melhor do que outro, cada um é adequado para diferentes situações. Confira a lista abaixo na qual estão discriminados tais estilos:

  • Liderança autocrática: é autoritária e diretiva, impõe ações a serem executadas sem permitir questionamento ou opiniões. É adequada para um contexto de urgência e crises, sem disponibilidade de tempo para argumentações, mas é inadequada em situações normais e cotidianas do trabalho;
  • Liderança democrática: é participativa e consultiva, o líder abre espaço para que os seguidores expressem suas opiniões, argumentos, queixas e questionamentos, podendo participar das decisões. É adequada para contexto em que os colaboradores são eficientes nas tarefas e inadequada em situações de riscos e de urgência ou quando há falta de capacitação dos profissionais;
  • Liderança Laissez-faire: o nome dado a este estilo significa, em francês, “deixe fazer”, neste caso o líder não interfere nas decisões e é pouco participativo. Adequada nos casos em que o profissional é altamente qualificado e possui conhecimento específico da tarefa a ser realizada e é inadequada no contexto que exige direcionamento, podendo resultar em negligência;

Como os estilos de liderança se relacionam com o bem-estar no trabalho?

O papel da liderança no contexto organizacional é de promover ações que visam benefícios em diversos aspectos e é por isso que de acordo com os estilos de liderança, o bem-estar do trabalhador é garantido ou prejudicado.

Vimos que não há estilo bom e estilo ruim, existe o estilo adequado para cada contexto e é neste ponto em que a saúde do trabalhador se relaciona, isto é, depende do líder saber identificar os momentos corretos de aplicar os padrões de cada estilo.

O líder deve saber adequar os estilos de liderança às circunstâncias do trabalho para evitar o prejuízo da saúde do trabalhador e garantir maior bem-estar no trabalho. Cada estilo quando aplicado inadequadamente pode causar diferentes problemas.

Se a liderança autocrática for o estilo predominante em um contexto inadequado, provavelmente haverá insatisfação, revolta, sentimento de humilhação, podendo levar o trabalhador a desenvolver doença ocupacional ou distúrbio emocional, como estresse, ansiedade, síndrome do pânico, depressão, distúrbios gastrointestinais, dores de cabeça.

Por outro lado, a liderança democrática aplicada inadequadamente em situações que exigem maior direcionamento e capacitação, é possível que acarrete em grande número de desligamento, o que também pode desencadear problemas psicossociais.

Por fim, a liderança laissez-faire mal utilizada leva à repetição de erros quando negligenciadas as correções, o que contribui com a ocorrência de acidentes. Além disso, os funcionários podem sentir abandonados, desestimulados, desmotivados e com sobrecarga de responsabilidade, estes fatores contribuem com a falta de qualidade de vida no trabalho.

Em suma, é preciso que os gestores da empresa saibam utilizar os estilos de liderança nas situações adequadas para garantir o bem-estar dos funcionários.

Veja também

Comentário