O que é Ergonomia Cognitiva?


Entende-se por cognição um conjunto de processos mentais, os quais incluem: memória, raciocínio, atenção, concentração, percepção, inteligência, emoções, entre outros. Estes citados são os maiores focos da ergonomia cognitiva, pois são processos muito ligados ao trabalho.

Assim, este termo é usado para se referir ao tipo de ergonomia que visa alcançar melhorias no trabalho para prevenir e aprimorar a cognição dos colaboradores. Estes processos mentais são essenciais para que haja, inclusive segurança no trabalho.

Objetivo da Ergonomia Cognitiva

Há tempos atrás não se falava em cognição como um objeto a ser atendido na ergonomia, hoje as empresas mais atualizadas e inovadoras entendem que a ergonomia cognitiva consegue alcançar objetivos que outros tipos de ergonomia não alcançariam sem ela, isto é, este tipo ergonômico tem alta contribuição na qualidade de vida no trabalho.

A partir disso, podemos listar alguns destes objetivos:

  • Preservar a atenção;
  • Reconhecer e aprimorar a curva de atenção;
  • Aprimorar a memória;
  • Melhorar a psicomotricidade;
  • Promover conhecimentos;
  • Identificar tipos de inteligência;
  • Promover inteligência emocional;
  • Preservar saúde mental e física.

Ergonomia Cognitiva no Trabalho

A ergonomia cognitiva é aplicada ao trabalho através de diversas intervenções, como:

  • Processo de recrutamento e seleção: é feita avaliação psicológica a fim de analisar a atenção, memória, inteligência, raciocínio através de testes apropriados para estes fins;
  • Treinamento e desenvolvimento de pessoas: novas habilidades, aprendizados e atitudes podem ser adquiridas em programas de desenvolvimento de talentos;
  • Organização do tempo: avaliando a curva da atenção, isto é, a partir de determinado tempo na jornada de trabalho, a atenção tende a cair, exigindo-se um intervalo de descanso para que o nível de atenção volte ao seu pico;
  • Ginástica laboral: esta atividade física estimula determinados hormônios que melhoram a memória, o humor e a atenção;
  • Organização do ambiente de trabalho: o ambiente físico é uma grande influência para a desatenção, isto é, quando o local não deve possuir estímulos que tirem a atenção do colaborador ou mesmo que provoquem sensação de estresse;
  • Outros tipos de ergonomia: o ser humano é integrado de diversos aspectos, por isso os outros tipos de ergonomia (organizacional e física) acabam por influenciar os processos cognitivos. Por exemplo: a falta de conforto e segurança no posto de trabalho afeta diretamente a atenção.

Importância da Ergonomia Cognitiva

A atenção aliada à concentração, talvez, seja uma das maiores preocupações da ergonomia cognitiva, pois estes construtos são essenciais para uma boa produtividade, bem como para evitar fadiga e cansaço. Além disso, a atenção auxilia na prevenção dos acidentes de trabalho, já que o colaborador se vê atento aos riscos, aos procedimentos e instrumentos.

Além disso, a inteligência emocional também é de grande valia, pois evita conflitos, estresse, depressão, enfim, evita motivos de sofrimento emocional e assim, reduz os índices de afastamento, atrasos, faltas.

A memória, por sua vez, auxilia no melhor rendimento durante a execução das tarefas, pois evita que o colaborador esteja sempre buscando a mesma informação, isto é, torna o trabalho mais eficaz (menos esforço e tempo e mais resultados), além disso, a memória está ligada ao aprendizado e este auxilia no crescimento profissional.

A identificação das inteligências, por sua vez, refere-se ao momento de recrutamento e seleção em que o gestor identifica os diferentes tipos de inteligência, conseguindo adequar o homem ao cargo ideal de acordo coma compatibilidade de perfil, o que aumenta os níveis de produtividade.

Em resumo, a importância da ergonomia cognitiva está nos benefícios que esta proporciona para o trabalhador e para a empresa, ou seja, aumento de produtividade, redução de sofrimento emocional, crescimento pessoal, redução de rotatividade, absenteísmo, melhora no relacionamento interpessoal, prevenção dos acidentes de trabalho, entre outros.


Veja também

Comentário