DDS Empilhadeira

Confira o DDS empilhadeira.

Carga, descarga, armazenamento de materiais e produtos acontecem a cada instante no mundo inteiro. O uso da empilhadeira é essencial para que esse processo aconteça de forma eficiente, rápida e segura. Mas, infelizmente, muitos acidentes envolvendo empilhadeira vêm acontecendo. E na sua grande maioria, acidentes graves e até mesmo fatais.

Para evitar acidentes é necessário seguir algumas medidas preventivas antes, durante e depois da operação das empilhadeiras. Dessa forma, confira o DDS empilhadeira.

Com a chegada das empilhadeiras, as empresas ganharam em produtividade, tempo e redução de gastos, principalmente, na contratação de mão de obras. No entanto, mesmo com os avanços na área da segurança do trabalho, na proteção e na operação da empilhadeira, ainda é grande o número de acidentes do trabalho envolvendo as empilhadeiras.

A seguir, veremos alguns tipos de acidentes, incidentes, fatores e medidas de prevenção quanto ao uso da empilhadeira.

Tipos de acidentes e incidentes mais comuns com empilhadeira:

  • Batida contra estruturas, equipamentos e veículos;
  • Atropelamento de pessoas;
  • Queda do material transportado, sobre as pilhas, estruturas e pessoas;
  • Tombamento da empilhadeira;
  • Queda da empilhadeira.

Alguns fatores que contribuem para o acidente acontecer:

  • Adição de contrapeso inapropriado;
  • Alta velocidade;
  • Carga elevada em movimento e parado em local de circulação de pessoas e equipamentos;
  • Carga mal condicionada sobre os garfos, como, não encostada totalmente na grade;
  • Comportamentos pessoais: excesso de confiança, pressa, pressão psicológica, negligência de regras; falta de experiência, etc;
  • Empilhamento inadequado;
  • Espaço insuficiente para a manobra;
  • Falta de auxilio para o operador, quando necessário;
  • Falta de avaliação do risco da atividade e do ambiente;
  • Falta de avaliação visual (olhar de 360° antes de sair com a empilhadeira), comunicação sonora (sirene de ré e buzina) e comunicação verbal (via rádio, alto falante);
  • Falta de comunicação;
  • Falta de experiência;
  • Falta de planejamento da atividade;
  • Falta de retenção de cargas;
  • Falta de uso do cinto de segurança;
  • Falta de visibilidade do operador devido ao excesso de carga (altura) transportada ou movimentada;
  • Não informar aos motoristas sobre os procedimentos internos de carga e descarga da empresa;
  • Não realizar manobra de ré (quando for obrigatório);
  • Pessoas transitando na área operacional de carga e descarga da empilhadeira;
  • Pessoas, materiais, veículos e equipamentos em locais inapropriados;
  • Plataforma insegura;
  • Transporte com carga elevada (acima da capacidade informada pelo fabricante);

Medidas Preventivas

  • Antes de iniciar a atividade com a empilhadeira realizar o check list do equipamento;
  • A empresa deve definir e demarcar áreas de tráfegos de pessoas e empilhadeiras;
  • Em caso de alguma irregularidade encontrada, solicitar o reparo imediato e somente operar a empilhadeira após a liberação da equipe de manutenção. E nunca se esqueça de realizar novamente o check list antes de iniciar a atividade;
  • Permitir somente as pessoas capacitadas, treinadas e habilitadas para operar a empilhadeira;
  • Criação do Programa Padrinho – Consiste na empresa definir funcionários com experiência na função de operador de empilhadeira para preparar e treinar os novos empregados recém-contratados pela empresa;
  • Realizar treinamentos periódicos e de reciclagens para os operadores de empilhadeira;
  • Se possível, restringir o acesso de pessoas na área onde se faz o uso da empilhadeira;
  • Sinalizar com placas, sinalizadores e espelhos os locais onde há circulação de pessoas e de empilhadeiras. (Ex: armazéns, almoxarifados, depósitos e entre outros).

Gostou do DDS Empilhadeira? Então, não deixe de acompanhar o Blog Segurança do Trabalho pelas redes sociais: TwitterFacebookInstagram e Google plus.

Veja também

Gostou do texto? Então, não deixe de compartilhá-lo:

Comentários

Comentário

CAPTCHA