Funcionário com CAT aberta pode ser demitido?

Saiba se o funcionário com CAT aberta pode ser demitido. Confira o texto!

A CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) deve se emitida preferencialmente pela empresa sempre que houver a ocorrência de um acidente de trabalho, trajeto, doença ocupacional ou morte.

Mesmo que os danos sejam superficiais é necessário a abertura da CAT, pois é através deste documento que o trabalhador segurado do INSS irá requerer junto ao órgão o beneficio previdenciário a que faz jus.

A lei 8.213/91 determina em seu artigo 118 que o funcionário que sofre acidente de trabalho é detentor da estabilidade provisória pelo período de 12 meses contados da cessação do auxilio-doença, desde que devidamente comprovado através de perícia o nexo causal entre o acidente e a incapacidade.

No entanto, não é sempre que a abertura da CAT irá gerar o direito a estabilidade, uma vez que esse direito só é conferido ao segurado que cumprir com certos requisitos elencados na legislação e é por esse motivo que o funcionário com a CAT aberta pode sim ser demitido.

Caso o funcionário tenha sido afastado do trabalho pelo período superior a 15 dias ele poderá ser detentor de estabilidade, no entanto, essa estabilidade só terá inicio após a alta médica, isto é, dentro desse lapso temporal o funcionário com CAT aberta pode ser demitido, muito embora o recomendável é que a empresa espere a decisão do INSS para depois efetivar a demissão.

É importante que fique claro que a simples abertura da CAT não gera o direito a estabilidade e sendo assim, o funcionário pode ser demitido mesmo com a CAT aberta.

Após a abertura da CAT e o encaminhamento do pedido para o INSS podem acontecer inúmeras situações, por exemplo, o funcionário pode ficar afastado do trabalho por algum tempo, mas somente fará jus à estabilidade se for comprovado pelo médico a caracterização do nexo causal entre o acidente como acidente de trabalho, do contrário, caso não exista o reconhecimento do nexo, o funcionário ficou afastado, recebeu o beneficio, porém não tem direito à estabilidade, e o que acontece? Ele pode ser demitido, mesmo com a CAT aberta.

Portanto, somente depois da perícia e somente se o médico atestar o nexo-causal é que o funcionário terá a estabilidade de 1 ano, que será concedida após o retorno ao trabalho.

Inclusive, esse é o entendimento dos tribunais trabalhistas, cujas decisões são no sentido de confirmar que se não verificado o nexo-causal entre o infortúnio e o trabalho desenvolvido pelo trabalhador, não se configura o acidente de trabalho, e conseqüentemente, não faz jus a estabilidade, pois o simples fato de haver uma CAT em aberto não garante a existência de doença, uma vez que a emissão desse documento é obrigatória na simples suspeita ou presunção de possibilidade de dano.

O grande cerne da questão é que erroneamente as pessoas acreditam que com a abertura da CAT o funcionário não pode mais ser demitido pois já possui a estabilidade, o que não é verdade, pois só terá direito a estabilidade se ficar afastado do trabalho por mais 15 dias, receber o beneficio acidentário da previdência e ficar comprovado através de pericia o nexo causal entre a moléstia e o acidente, do contrário, um funcionário com CAT aberta pode perfeitamente ser demitido pelo empregador.

Gostou do texto? Então, não deixe de compartilhá-lo:

Avalie esta publicação:

(Ainda sem avaliações)
Loading...
10 Comentário

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA