Calandragem – Dicas de Segurança do Trabalho

Confira as dicas de segurança do trabalho na calandragem.

As calandras são equipamentos usados para curvar chapas de aço, de materiais similares e em alguns casos borracha. A calandra é usada principalmente para fabricar tubos com diâmetros a partir de 150 mm, reservatórios tubulares, caldeiras cilíndricas, cones e troncos de cones, desempenar chapas e algumas apresentam a finalidade de virar tubos, cantoneiras e outros perfis, acetinar, sublimar ou lustrar papéis e tecidos e confeccionar filmes planos, chapas e laminados.

Consiste em um jogo de cilindros de aço giratórios, que se ajustam manualmente ou automaticamente conforme a necessidade do projeto. A principal vantagem é a obtenção de um produto com espessura constante e excelente acabamento.

Embora a operação desse equipamento seja simples, é necessário que o operador seja habilitado, garantindo assim a redução de acidentes. Dentre os riscos que o operador está exposto, os mais comuns são riscos ergonômicos, como movimento repetitivo, postura incorreta e ruído, risco de acidente, como esmagamento ou corte de dedos e membros.

Abaixo, seguem algumas dicas de segurança ao trabalhador durante a operação das calandras:

  • Cilindros: os cilindros devem apresentar um sistema de afastamento e abertura e serem protegidos de forma que o operário não tenha acesso enquanto a calandragem ocorra, geralmente são instalados mesas deslizantes, sensores e travas.
  • Inspeção: antes de iniciar a calandragem o trabalhador deverá verificar se o material é adequado à aquela calandra e realizar os ajustes necessários. É necessário, também, inspecionar regularmente o funcionamento dos dispositivos de emergência, além da manutenção periódica e treinamento ou reciclagem do operador;
  • Operação: antes de iniciar a operação de calandragem o trabalhador deverá verificar um check-list, ajustar a chapa e iniciar a operação. Quando a calandra possui largura maior que um metro, a operação deve ser realizada por dois ou mais trabalhadores;
  • Chave de acionamento, parada e partida: é indicado o uso de chaves com luz que indica o funcionamento e permaneça fora da zona de perigo, como a chapa passa por dentro da calandra, é necessário que o operador posicione corretamente a peça e assim, inicie a calandragem.
  • Respeitar a zona perigosa: a zona perigosa é a região próxima ou dentro da máquina, que geralmente são isoladas ou delimitadas e sinalizadas por cores fortes, como faixas amarelas no chão, marcando as regiões de serviço, e afastadores nos equipamentos. Como a peça a ser curvada passa entre rolos, respeitar e se manter atento durante a operação a essas regiões é essencial.
  • Botão de parada e emergência: esses dispositivos devem ser interconectados e montados em local de fácil acesso ao operador ou outro que necessite acioná-lo devido a um acidente ou problemas com o equipamento. Desta forma quando acionado, o seu comando deverá prevalecer sobre os outros.
  • Dispositivo de retrocesso de emergência: deve ser acessível ao trabalhador e pode ser substituído por dispositivos de abertura imediata dos cilindros;
  • Limpeza: como o operador segura a peça de aço enquanto ocorre a calandragem para evitar deformações na curva, é necessário que o ambiente esteja livre de objetos (que o operador possa tropeçar) e líquidos (que possa escorregar). A limpeza dos cilindros deve ser feita com o equipamento desligado e regularmente.

Gostou das dicas de segurança do trabalho na calandragem? Então, não esqueça de acompanhar o Blog Segurança do Trabalho pelas redes sociais: Twitter, FacebookGoogle plus.

Gostou do texto? Então, não deixe de compartilhá-lo:

3 Comentário

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 4 =