Quem pode preencher a CAT


Confira o responsável pelo preenchimento da CAT em cada categoria de segurado da Previdência Social.

Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) é o documento emitido para reconhecer um acidente de trabalho, de trajeto e referentes a doenças ocupacionais. Essa comunicação é uma obrigação da empresa e do próprio acidentado, a depender da categoria, ainda que não seja necessário o afastamento do exercício da atividade.

Para facilitar o entendimento e a localização no texto de quem pode preencher a CAT, os responsáveis por sua emissão serão separados por categoria de segurados, conforme a seguir:

  • Empregado:

Nos termos da CLT, considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste e mediante salário.

Para esta categoria, o responsável legal pela emissão da CAT é a própria empresa.

  • Segurado Especial:

Na inteligência do artigo 39 da Instrução Normativa nº 77/PRES/INSS, de 21/01/2015, são considerados segurados especiais o produtor rural e o pescador artesanal ou a este assemelhado, desde que exerçam a atividade rural individualmente ou em regime de economia familiar, ainda que com o auxílio eventual de terceiros.

Para esta categoria, a responsabilidade pelo preenchimento e emissão da CAT recai sobre o próprio acidentado, seus dependentes, a entidade sindical da categoria, o médico assistente ou qualquer autoridade pública.

Quanto às autoridades públicas competentes, será abordado mais a frente.

  • Trabalhador Avulso:

O trabalhador avulso, também de acordo com IN 77/2015, é aquele que sindicalizado ou não, preste serviço de natureza urbana ou rural a diversas empresas, sem vínculo empregatício, com a intermediação obrigatória do órgão de gestão de mão de obra.

Para estes trabalhadores, a emissão da CAT fica a cargo da empresa tomadora de serviço e, na falta dela, do sindicato da categoria ou do órgão gestor de mão de obra.

  • Desempregado:

Para o desempregado, na hipótese de doença profissional ou do trabalho ter se manifestado apenas após a rescisão do vínculo empregatício, a CAT poderá ser emitida pelo próprio acidentado, seus dependentes, a entidade sindical competente, o médico que o assistiu ou qualquer autoridade pública.

Em termos legais, esses são os responsáveis pelo preenchimento e encaminhamento da CAT ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Contudo, nos casos do empregado e do trabalhador avulso, na falta de comunicação por parte da empresa, conforme disciplina a Lei 8.213/91, podem formalizá-la o próprio acidentado, seus dependentes, a entidade sindical competente, o médico que o assistiu ou qualquer autoridade pública.

Importante salientar, ainda, que a IN 77 listou as autoridades públicas competentes para a emissão da CAT no caso citados acima. São elas:

  • Magistrados em geral;
  • Membros do Ministério Público e dos Serviços Jurídicos da União e dos estados;
  • Comandantes de unidades militares do Exército, da Marinha, da Aeronáutica e das Forças Auxiliares (Corpo de Bombeiros e Polícia Militar);
  • Prefeitos;
  • Delegados de polícia;
  • Diretores de hospitais e de asilos oficiais e
  • Servidores da Administração Direta e Indireta Federal, Estadual, do Distrito Federal ou Municipal, quando investidos de função.

Tem-se, portanto, que a legislação foi bastante criteriosa no que concerne à competência de quem pode preencher a CAT, determinando um rol amplo de responsáveis, com vistas a não deixar o trabalhador desguarnecido no momento de registrar o acidente de trabalho ou doença ocupacional.

Por fim, é importante pontuar que, independentemente de quem será o responsável pelo preenchimento da CAT, a ação poderá ser feita tanto por meio de formulário em papel, como por meio do aplicativo CAT Online. Em caso de dúvida, consulte o artigo: Como preencher a CAT – Passo a Passo.

Gostou do texto sobre quem pode preencher a CAT? Então, não deixe de acompanhar o Blog Segurança do Trabalho pelas redes sociais: TwitterFacebookInstagram e Google plus.


Veja também

Comentário