MPT e OIT divulgam Observatório Digital de SST


Na véspera do Dia Mundial de Saúde e Segurança no Trabalho (28 de abril), foi lançado o Observatório Digital de SST Saúde e Segurança do trabalho, uma ferramenta desenvolvida pelo SMARTLAB do Ministério Público do Trabalho – MPT e da Organização Internacional do Trabalho – OIT, com a contribuição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

O lançamento da ferramenta foi realizado pelo procurador geral do trabalho Ronaldo Fleury em uma cerimônia, que contou com a presença de importantes representantes do Trabalho, a saber: o ministro do trabalho Ronaldo Nogueira, a ministra do Tribunal Superior do Trabalho Maria Helena Mallmann e o coordenador da OIT do Programa de Combate ao Trabalho Forçado Antônio Carlos de Mello.

Não se pode deixar de destacar também a contribuição do coordenador do projeto do Observatório Digital de Saúde e Segurança do trabalho, o procurador Luís Fabiano de Assis.

A ferramenta fornece dados e evidências estatísticas acerca da saúde e segurança do trabalho, incluindo irregularidades no ambiente de trabalho, proporcionando subsídio para o desenvolvimento, monitoramento e avaliação de projetos, programas e políticas de prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, facilitando o combate de tais problemas e a promoção do trabalho decente.

Um destes dados apontados pela ferramenta é de que entre 2012 e início de maio de 2017, os trabalhadores brasileiros chegaram a perder mais de 270 milhões de dias de trabalho decorrente de acidentes ou de doenças ocupacionais, este número equivale aproximadamente a 22 bilhões de reais com gastos previdenciários. Além disso, a ferramenta aponta que um acidente de trabalho ocorre a cada 47 segundos no Brasil.

O observatório Digital de Saúde e Segurança do trabalho funciona em plataforma online sob o endereço eletrônico: www.observatoriosst.mpt.mp.br. Nele é possível acompanhar os indicadores de fequência de acidentes, total de notificações de acidentes de trabalho, porcentagem de geolocalização por tipo de acidente, bem como as notificações de morte acidentárias.

A ferramenta se faz importante por reunir dados que antes se viam distribuídos em sites governamentais ou anuários com dificuldade de acesso, agora com o observatório as informações no âmbito de segurança e saúde do trabalho no Brasil tornam-se mais claras, mais acessíveis e reunidas em uma única plataforma.

É importante esclarecer que a ferramenta utiliza o banco de dados do censo do IBGE, do IPEADATA e IPEA, do Sistema de Indicadores Municipais de Trabalho Decente da OIT, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Sistema Único de Informações de Benefícios da Previdência Social (SISBEN), do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Por isso, a ferramenta mesmo que recente, já possui dados desde 2012.

Fonte: MPT (Procuradoria-Geral do Trabalho) – Texto escrito pela redação do Blog Segurança do Trabalho.


Veja também

Comentário