Alcoolismo no trabalho: Como Intervir?


O álcool é considerado uma droga lícita e sobretudo, a droga que mais causa problemas de saúde e acidentes de trânsito e acidentes no trabalho. Estima-se que cerca de 16 milhões de brasileiros têm dependência em álcool e que cerca de 90% dos jovens têm o hábito de consumir álcool em eventos sociais.

O alcoolismo é um problema atual, inclusive no âmbito do trabalho, e é sobre isso que este texto discorre, portanto continue acompanhando e saiba como intervir nesta agravante.

O que é o alcoolismo?

Entende-se por alcoolismo uma doença crônica caracterizada pelo consumo excessivo de álcool, que interfere negativamente na vida da pessoa. A pessoa acometida por tal condição é denominada alcoolista.

A epidemiologia indica que a idade de maior incidência é entre 19 e 60 anos e é mais comum entre indivíduos do sexo masculino.

Sintomas do alcoolismo

O principal sintoma do alcoolismo é o consumo abusivo, dependente e constante do álcool, é comum que o alcoolista não se considere dependente e afirma estar sob controle. Abaixo estão discriminados outros aspectos sintomáticos:

  • Sintomas comportamentais: agressividade, agitação, compulsão;
  • Sintomas sociais: isolamento social, conflitos familiares, problemas no trabalho;
  • Sintomas cognitivos: alteração da atenção, concentração, raciocínio e noção espacial;
  • Sintomas fisiológicos: tontura, fome incessante, calafrios, problemas gastrointestinais, náusea, tremor, alteração do equilíbrio, alteração na fala;
  • Sintomas psicológicos: delírio, paranoia, medo, obsessões, alteração da consciência, alteração de humor, ansiedade, sentimento de culpa ou remorso.

Consequências do alcoolismo no trabalho

Há diversas consequências que o alcoolista enfrenta no seu ambiente de trabalho, tanto no que tange seu rendimento, as relações pessoais, como no que tange a segurança e a saúde no trabalho. Veja abaixo exemplos de consequências que o alcoolismo pode trazer ao trabalho:

  • Queda do rendimento: a concentração, atenção e habilidades perdem o potencial e com isso, o trabalhador não consegue manter a produtividade adequada;
  • Absenteísmo: o alcoolismo é a principal causa de faltas e atrasos, causando problemas econômicos e práticos na empresa;
  • Acidentes de trabalho: o alcoolista perde a noção de espaço e a percepção de risco e com isso, se torna mais apto a envolver seus colegas e a si mesmo em acidentes de trabalho;
  • Afastamento: a dependência em álcool ocasiona outras doenças e transtornos psicológicos incapacitantes, por isso, o alcoolismo é o principal motivo de solicitação de auxílio-doença no Brasil;
  • Desemprego: quando o alcoolista não consegue o auxílio-desemprego, é possível que ele acabe desempregado e sem renda, o que pode leva-lo a uma situação de rua. É importante ressaltar que o desligamento é negativo tanto para a empresa quanto para o funcionário.
Tratamentos do Alcoolismo

O tratamento do alcoolismo deve envolver a abordagem psicológica como a farmacológica. Baseia-se, portanto, na desintoxicação gradual através de medicamentos que auxiliam na redução da dependência, a saber: vitaminas e sedativos. O processo de desintoxicação pode ser realizado em clínicas especializadas ou em hospital.

O tratamento psicológico abrange a psicoterapia individual ou em grupo. A psicoterapia individual contribui na compreensão da subjetividade do indivíduo que busca uma substância psicoativa, bem como na elaboração dos problemas sociais, cognitivos e emocionais que o alcoolismo traz, e ainda, auxilia com técnicas de autocontrole e modificação de comportamento. A psicoterapia grupal ou grupos de apoio auxiliam na troca de experiências de pessoas que enfrentam o mesmo problema, o que costuma aumentar a motivação, dar apoio social e enfrentamento.

Os profissionais envolvidos no tratamento são psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais e clínico geral.

Como intervir nos casos de alcoolismo no trabalho

Infelizmente, muitas empresas deixam de dar o suporte que o funcionário alcoolista necessita e acaba resolvendo a questão com o desligamento. No entanto, quando os gestores percebem um funcionário enfrentando o alcoolismo, é preciso que seja feita uma intervenção com os recursos da empresa. A intervenção envolve os seguintes aspectos:

  • Prevenção: através de informação integrada ao processo de segurança do trabalho;
  • Forma de lidar: a empresa deve lidar com o alcoolismo sem discriminação, tratando a agravante da mesma forma como outras condições de saúde, bem como manter sigilo e respeito;
  • Reabilitação: encaminhamento ao psicólogo e ao médico;
  • Apoio social: a empresa deve apoiar seu funcionário, sendo tolerante com suas dificuldades e auxiliando o funcionário a superá-las;
  • Adaptação do trabalho: enquanto o trabalhador estiver em tratamento, a empresa pode oferecer outro cargo que envolva menos riscos de acidentes;
  • Proporcionar os direitos: a empresa pode auxiliar informando os direitos previdenciários que o funcionário possui e auxiliá-lo a buscá-los.

Gostou do texto sobre como intervir em casos de alcoolismo no trabalho? Então, não deixe de acompanhar o Blog Segurança do Trabalho pelas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram e Google plus.


Veja também

Comentário