Quem pode ser Ergonomista?


Cada profissão possui funções específicas, de forma que os profissionais se capacitem e se especializem para desempenhar tal função de forma eficiente e responsável. O trabalho multidisciplinar é muito interessante no enriquecimento das atuações, mas é importante que cada profissão respeite o seu segmento, pois cada uma possui seu conhecimento teórico e prático.

Existem profissões que têm determinados conhecimentos e práticas em comum, isto não quer dizer que duas profissões são semelhantes em todos os aspectos, mas que mais de uma profissão pode estar autorizada a realizar uma mesma tarefa da outra.

Por este mesmo caminho segue a ergonomia, neste artigo será possível compreender quais profissões estão relacionadas à ergonomia e quem pode ser ergonomista. Portanto, acompanhe!

O que é o Ergonomista?

O ergonomista é todo profissional que possui o curso de pós-graduação em ergonomia, de no mínimo 360 horas, em uma universidade credenciada pelo Ministério da Educação. Além disso, a partir de 2013, para fins de obtenção do titulo de ergonomista certificado, estabeleceu-se que os cursos de especialização em ergonomia devem ser credenciados pela ABERGO (Associação Brasileira de Ergonomia).

Não existe um curso de graduação específico para a profissão de ergonomista, dessa forma qualquer profissional que possui o diploma de ensino superior, pode realizar o curso de especialização em ergonomia.

É importante ressaltar que no Brasil a profissão de Ergonomista não é regulamentada.

Como ser Ergonomista?

Como já foi mencionado, a profissão ergonomista ainda não é regulamentada pelo Ministério do trabalho, no entanto esta é uma atividade que exige muito conhecimento para sua atuação.

Em virtude disso, é importante que os ergonomistas possuam um conhecimento satisfatório sobre anatomia, fisiologia, antropometria, biomecânica, psicologia, doença de trabalho, riscos ambientais, etc.

Por isso, para se tornar um ergonomista é preciso realizar o curso de pós-graduação, de no minimo 360 horas, o curso deve ser realizado em uma instituição reconhecida pelo Ministério da Educação.

Para fins de certificação dos profissionais, somente serão reconhecidos os certificados fornecidos pelos cursos de especialização em ergonomia credenciados à ABERGO (Associação Brasileira de Ergonomia).

Onde atua o Ergonomista

A expressão “Ergo” significa “trabalho” e “Nomos” significa “regras“, portanto a ergonomia estuda a relação do homem e o seu ambiente de trabalho. Consequentemente, o ergonomista atuará mais nos ambientes e nas atividades laborais.

Apesar da NR-17 do MTE não especificar o profissional responsável pela elaboração da Análise Ergonômica do Trabalho – AET. O ergonomista é o profissional mais indicado para realizar a elaboração da Análise Ergonômica do Trabalho.

⇒ Leia também: O que é Análise Ergonômica do Trabalho – AET?

É uma competência do empregador viabilizar a realização da AET, isto é, os gestores da empresa devem contratar um ergonomista para a elaboração da análise ergonômica do trabalho e se certificarem de que o mesmo possui realmente o curso especialização em ergonomia, ou seja, o curso de pós-graduação em ergonomia, com no mínimo 360 horas, em uma universidade credenciada pelo Ministério da Educação.

Quem pode ser Ergonomista?

Vimos que para se tornar um ergonomista é fundamental que seja realizado o curso de pós-graduação, não há um curso de graduação próprio para a profissão do ergonomista, dessa forma qualquer profissional que possui diploma de ensino superior em qualquer área, pode realizar o curso de especialização.

No entanto, é relevante que o profissional que pretende ser um ergonomista tenha em mente a importância de obter o conhecimento sobre as questões que envolvem a ergonomia. Ou seja, é preciso entender do conteúdo sobre fisiologia e biomecânica, para saber avaliar as influências das condições de trabalho no sistema musculoesquelético, sistema locomotor, sistema neurológico, etc. Além disso, é preciso compreender o conteúdo sobre psicologia, uma vez que a ergonomia inclui aspectos psicogênicos, psicossociais e emocionais.

Portanto, é altamente recomendado que os ergonomistas sejam profissionais inseridos em campos que se relacionam com a ergonomia, ou seja, que possuam os conhecimentos necessários e através do curso de pós-graduação em ergonomia possam aprofundar mais os tais conhecimentos, como: fisioterapeutas, psicólogos, engenheiros de segurança, educadores físicos, médicos do trabalho, entre outros.


Veja também

Comentários

  1. Aquiles Maciente

    Boa uma. É uma pena o técnico em segurança do trabalho não poder realizar este curso por estar graduando como técnico. É uma pena mesmo. Gostaria de saber se tem alguma chance ou se tem como o técnico de segurança do trabalho fazer a AET pois o técnico tem conhecimento porém não tem o certificado de ergonomista.
    Grato

    Responder

Comentário