O que é Classificação de Schilling?


O trabalho compõe uma área muito importante da vida humana, sua função não é estritamente financeira, ou seja, como meio de renda, mas também tem função social e emocional. A atividade laboral pode proporcionar bem estar e qualidade de vida, mas ao mesmo tempo, pode ser um fator desencadeante de diversas afecções.

As patologias e acidentes decorrentes do trabalho são comuns justamente porque este é algo intrínseco ao homem e, nas rotinas profissionais o trabalhador se relaciona com outras pessoas, se depara com adversidades físicas e emocionais, lida com equipamentos, lida com problemas e precisa tomar decisões. Todas estas situações no contexto do trabalho podem contribuir com a ocorrência de acidentes e doenças.

Devido à amplitude de patologias relacionadas ao trabalho, buscou-se classificá-las sob alguns critérios, a partir disto foi elaborada a classificação de schilling.

Conceito da Classificação de Schilling

Richard Schilling, professor de uma escola de medicina em Londres, foi o responsável pela classificação das doenças relacionadas com o trabalho, a qual é utilizada pelo Ministério da Saúde no Brasil. A classificação de schilling foi proposta em 1984 e, obviamente, recebeu o nome de quem a desenvolveu.

O que motivou Schilling a respeito deste tema foi sua observação de que na Inglaterra os casos de patologias relacionadas ao trabalho eram superiores aos dados estatísticos apresentados. Dessa forma, Schilling percebeu a importância de uma classificação mais objetiva, para que se tornasse possível definir as patologias recorrentes e com isso, os dados passassem a ser fidedignos à realidade.

Grupos da Classificação de Schilling

A classificação de Schilling envolve três grandes grupos de doenças relacionadas ao trabalho:

  • Grupo I: No primeiro grupo se classificam as doenças que têm o trabalho como causa necessária. Em outras palavras, o trabalho é o agente causador, é um fator necessário em todos os casos semelhantes. Exemplos: intoxicação por chumbo e silicose.
  • Grupo II: Aqui, o trabalho é um fator que contribui, mas não é considerado causa necessária, ou seja, o trabalho é um fator de risco. Exemplo: afecções ao sistema locomotor, neoplasias, patologias coronárias, varizes, etc.
  • Grupo III: Neste grupo, o trabalho se define como um fator agravador ou latente de uma patologia já existente. Dessa forma, o trabalho pode desencadear uma patologia que estava adormecida ou piorar o quadro do indivíduo. Exemplo: bronquite, asma, dermatites, alergias, transtornos psiquiátricos, etc.

A importância da Classificação de Schilling

É possível perceber que se trata de uma classificação bastante simplificada e objetiva. A partir dela pode-se compreender melhor os tipos de doença relacionada ao trabalho, sua importância está no que tange a compreensão da função do trabalho enquanto fator relacionado a uma patologia.

A classificação é relevante, portanto, na investigação dos fatores relacionados com o contexto laboral, sem esta classificação, haveria maior dificuldade em determinar a responsabilidade de cada fator. Compreendendo a real função do trabalho, é possível tomar as medidas corretas tanto em relação à legislação quanto em relação ao tratamento.

A portaria do Ministério da Saúde de número 1.339 do ano 1999 prevê uma lista de doenças relacionadas ao trabalho e a classificação de Schilling contribui no âmbito da previdência com a classificação destas doenças listadas na respectiva legislação. Com isso, a classificação contribui na definição dos direitos do colaborador.

Em relação às medidas de prevenção e tratamento, a classificação contribui para que os gestores da organização junto à medicina do trabalho possam tomar medidas adequadas para evitar que o trabalho se torne um fator necessário, de risco ou agravante. Além disso, a classificação pode ajudar no tratamento médico, tanto direcionado ao colaborador como direcionado à organização, tomando as medidas necessárias para promover maior qualidade de vida no trabalho.

É importante que haja sempre desenvolvimento científico em relação ao tema. Por isso o professor que deu nome à classificação de Schilling se preocupou com tal questão, fornecendo este instrumento à saúde no trabalho.


Veja também

Comentário