DDS Paletes


Os paletes são peças fundamentais na cadeia logística, possuem uma função bastante simples: eles permitem levar carga de um lugar a outro, de um lado a outro, com segurança, rapidez e praticidade. Além de favorecer a otimização de áreas verticais e proteger produtos no momento do transporte.

Os paletes são construídos em madeira, plástico, papelão ou aço e estão presentes em todo o processo, desde a linha de produção até a armazenagem no destino final.

Assim como outros equipamentos, os paletes possuem diferentes características e aplicações para transporte e estocagem. O mais comum no Brasil é o modelo PBR, padronizado em 1990 pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), fabricado em madeira e retornável.

Este é o mais utilizado para transporte entre fornecedor e consumidor. Mas há também os não padronizados, geralmente utilizados em processos internos ou em acordos específicos entre fornecedores e consumidores. Fabricado em papelão, este modelo é comum nos transportes de tipo “one way”, em que não há retorno dos paletes vazios.

Conservação dos Paletes

Peças do dia-a-dia, eles também necessitam de cuidados específicos para garantir maior tempo de conservação. Sua vida útil está diretamente ligada a esses cuidados. Paletes avariados e quebrados são os principais problemas, além de peças que não voltam ao destino de origem e que na conta final, aumentam custos do produto final.

No caso dos modelos de madeira, a substituição de partes quebradas se torna mais simples, porém há risco de acidentes com pregos soltos, pregos com pontas expostas ou mesmo partes soltas que comprometem sua eficiência. No caso dos modelos plásticos, quando quebrados devem ser descartados como material reciclável.

Segurança no Trabalho com Paletes

Além do impacto financeiro, a má conservação dessas peças pode trazer sérios riscos de acidentes aos operadores. Sempre que encontrar uma unidade não segura, com pregos soltos ou outros defeitos, providencie o descarte ou marque-a para reparos. Sinalize sempre a peça com defeito. Um palete com problema quando carregado pode gerar sérios acidentes, colocando em risco até a vida dos trabalhadores.

Mas o risco não existe apenas quando o palete está fechado, com produtos. Por se tratar de um trabalho de rotina, o manuseio de paletes vazios também é uma atividade que pode facilmente causar acidentes, especialmente se as normas de segurança não forem cumpridas. Estatísticas apontam que o manuseio de materiais causa mais acidentes do qualquer outro tipo de trabalho.

Algumas dicas simples que garantem sua segurança e de seus colegas de trabalho:

  • Sempre inspecione a peça antes de manuseá-la para evitar machucados em partes soltas ou quebradas;
  • Quando encontrar peças com avarias ou defeitos, sinalize e deixe-as em outro local para conserto ou descarte;
  • Quando for fazer empilhamento ou descarte dos paletes, dê preferência ao trabalho mecânico (utilizando empilhadeira, por exemplo). Caso não seja possível, peça ajuda a mais uma pessoa e respeite as normas de ergonomia. Levante-o dobrando os joelhos e esticando as pernas para não sobrecarregar a coluna.
  • Utilize luvas de couro para proteger as mãos e calçados de segurança para proteger os pés;
  • Ao empilhá-los, certifique-se de que as pilhas estão estáveis, tendo em torno de 1,20 metros de altura em terreno plano. Nunca empilhe pelas extremidades.
  • Não as deixe próximas a corredores, portas ou passagens. Isso evita que as pessoas passem por cima delas ou bata nas pilhas.
  • Os paletes podem parecer resistentes, mas a queda pode enfraquecê-los. No caso dos modelos de papelão, é importante ficar atento à umidade nos locais de estocagem. Ela pode enfraquecê-los.

Lembramos que é preciso pensar no palete como qualquer outro equipamento da empresa, que precisa de manutenção e cuidados para uma vida longa. E também que há normas de segurança que devem ser cumpridas ao manuseá-los. Pois, desenvolver atitudes seguras salva vidas.


Veja também

Comentários

  1. Mundisley Neves

    Muito bom! Muitos nem imaginam que os paletes pode gerar vários tipos de acidentes no ambiente de trabalho.

    Responder
  2. Fábio Alexandre

    Muito interessante este dds de paletes, pois trabalho em uma empresa que faz utilização dos mesmo e olha que não são poucos.

    Responder
  3. Renato

    Meu caro sigo sempre seu site, como sugestão coloque figuras nos objetos que estiverem sendo abordados, muitos leitores seus estão iniciando no ramo agora não tem muita ideia.

    Responder
  4. PAULA

    MUITO INTERESSANTE, O ASSUNTO ABORDADO! SEMPRE QUE PASSO NESSE SITE, PERCEBO QUE SEMPRE SÃO ASSUNTOS QUE VIVENCIAMOS NA ROTINA DO TRABALHO.

    Responder
  5. MÁRIO PEREIRA LOPES

    Bom dia!
    O BLOG SEGURANÇA DO TRABALHO traz assuntos por demais interessantes e necessários ao Técnico em Segurança do Trabalho, porém, há uma restrição quanto à cópia dos assuntos.

    às vezes necessito de alguns trechos, dentre outras publicações e noto que é proibido a reprodução dos mesmos.
    Como fazer.
    Grato.
    Mário

    Responder
  6. luciano de souza

    BOA TARDE,
    Gostaria muito de receber materiais para ministração de DDS.
    Desde que implantei os DDS na empresa tive os melhores resultados.
    No processo de implantação os encarregados fizeram muita resistência, pois, não estavam ACOSTUMADOS e preparados para fazer-los. Foi a partir dos treinamentos para multiplicadores que viram a ferramenta de trabalho que eles tinham nas mãos.
    Depois do DDs o numero de acidentes caíram bruscamente.

    Responder

Comentário