O que é PAE – Plano de Ação de Emergência?


O Plano de Ação de Emergência – PAE, como o nome diz, é um plano elaborado para ser executado caso ocorra uma emergência.

As medidas a serem tomadas devem estar especificadas em um documento e serem de conhecimento do maior número possível de pessoas. Para cada tipo de emergência existem passos diferentes a serem tomados para tentar controlar a situação, o PAE deve especificar as situação de emergência possíveis de acontecer e o passo a passo para o controle das mesmas.

A NBR 15219 (Plano de emergência contra incêndio) dispõem sobre a elaboração, implementação, manutenção e revisão do plano de Ação de Emergência e determina que esta norma seja aplicável a toda e qualquer planta, com exceção das edificações residenciais unifamiliares.

Em uma empresa, é necessário analisar quais os tipos de produtos químicos são utilizados, quais os locais são mais propícios de ocorrerem incêndios e outras atividades que podem causar danos pessoais, materiais e ambientais. Devem incluir no PAE as atividades envolvendo uso de Gás Liquefeito de Petróleo, Caldeiras e Vasos de Pressão, Fornos, Produtos químicos em geral entre outros.

Também devem constar no PAE as medidas a serem tomadas em caso de incêndios, desastres naturais e primeiros socorros.

Várias outras legislações existem para ajudar na execução do PAE nas empresas: a manutenção de uma Brigada de Incêndio, a Comissão Interna de Acidentes de Trabalho (CIPA), a estruturação do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia Segurança e Medicina do Trabalho). No entanto, nem todas as empresas precisam da formação dessas equipes de ajuda para o atendimento de emergências, depende da quantidade de funcionários e o ramo de trabalho da mesma.

No entanto a PAE deve existir em todas as empresas, indiferente do tamanho das mesmas, assim é preciso ter pessoas capacitadas para atender os requisitos da PAE em toda e qualquer empresa.

Para que o PAE seja bem desenvolvido é importante verificar todas as fontes de risco existentes e as possíveis emergências que elas podem causar. Também é necessário que os responsáveis pela execução do plano saibam quais as responsabilidades de cada um e o passo a passo para o sucesso do plano.

Se o PAE for bem executado os impactos gerados pela emergência provavelmente serão os mínimos dimensionados no próprio plano, porém se não for possível realiza-lo, os impactos podem gerar muitas perdas e danos para a empresa.

Além das empresas, os órgãos públicos também devem prever um PAE para cada tipo de emergência que puder sofrer, uma prefeitura pode desenvolver planos para o caso de ocorrer incêndio, enchente, temporal, terremoto, entre outros desastres naturais.

Gostou do texto sobre o Plano de Ação de Emergência – PAE? Então, acompanhe o Blog Segurança do Trabalho pelas redes sociais: TwitterFacebook e Google plus.


Veja também

Comentário