Como sair da CIPA


Saiba como sair da CIPA e quais são as consequências dessa decisão.

O mandato do cipeiro dura um ano. Entretanto, várias razões podem levar o empregado a querer deixar a CIPA. Saiba o que fazer para não prejudicar seu emprego e nem causar problemas à empresa.

Como funciona a CIPA?

De acordo a NR-05, todas as empresas devem constituir a CIPA. Entretanto, os estabelecimentos que não se enquadrarem no Quadro I da NR-05 (Dimensionamento da CIPA), deverão designar um responsável para o cumprimento da norma regulamentadora nº 05. O número de integrantes da CIPA deve obedecer ao dimensionamento constante no Quadro I da NR-05 (Dimensionamento da CIPA).

A votação é secreta e todos os empregados podem votar e ser votados. Escolhidos os representantes dos empregados, seu mandato será de um ano, com possibilidade de reeleição.

O cipeiro pode renunciar ao cargo? Quais as conseqüências?

Sim. O empregado que não deseja mais continuar na CIPA pode renunciar ao cargo, seja qual for o motivo. No entanto, deve estar ciente de que perderá também a estabilidade no emprego.

Embora a lei seja omissa a este respeito e até pouco tempo atrás ainda houvesse controvérsias sobre a perda da estabilidade, o Tribunal Superior do Trabalho já se manifestou a respeito no Recurso de Revista 1127-07.2010.5.04.0512.

O recurso foi impetrado por uma fábrica de farinha condenada a pagar indenização por demitir um de seus trabalhadores sem justa causa no período de estabilidade da CIPA, embora o mesmo tivesse renunciado ao mandato por livre e espontânea vontade e com assistência do sindicato. Segundo a relatora, sendo válida a renúncia, não há que se falar em direito decorrente da estabilidade.

Como sair da CIPA?

Conforme determina o artigo 500 da CLT, o pedido de demissão do empregado estável só é válido quando feito com assistência do respectivo sindicato e se não houver, perante autoridade local competente do Ministério do Trabalho ou da Justiça do Trabalho. Por isso, é aconselhável que a renúncia a cargo da CIPA seja assistida, buscando evitar assim possíveis problemas futuros, tanto para o empregado quanto para a empresa.

A renúncia ao mandato de membro da CIPA deve ser feita por carta escrita, normalmente de próprio punho. O pedido deverá constar da ata da próxima reunião da CIPA, na qual será empossado o suplente. A ata deve ser homologada no sindicato da classe e protocolada na agência de atendimento do Ministério do Trabalho mais próxima.

⇒ Veja também: Modelo – Declaração de Desligamento da CIPA.

Gostou da publicação? Então, não esqueça de acompanhar o Blog Segurança do Trabalho pelas redes sociais: Twitter, Facebook e Google plus.


Veja também

Comentários

  1. José Roberto

    Boa noite, na verdade é mais uma pergunta que um comentário, sou presidente da cipa indicado, pela empresa, e gostaria de saber se o procedimento é o mesmo visto acima?

    Responder
  2. Sérgio Pereira

    Me desculpe mas este texto fere totalmente a NR.5 visto que em nenhum momento a Norma cita essa possibilidade. Já fiz o procedimento dito acima, funcionário, sindicato e empresa. Após dois naos o trabalhador entrou na justiça alegando que foi forçado a pedir a sua saída. Com medo de represálias não falou nada no dia de sua saída. Conclusão: Retorno ao trabalho e posteriormente eleito com a maioria dos votos e com apoio do sindicato. Na leitura da sentença foi citado pelo juiz a NR-05 ao qual fala da demissão do cipeiro.

    Responder
  3. MARCELO TADEU CAMARGO

    Bom dia! !! Sou cipeiro escolhido pelo voto li o artigo e gostei muito, mas gostaria de saber se caso eu me desligue da cipa se posso fazer um acordo com a empresa para ser mandato embora invés de pedir demissão?

    Responder
  4. Greice

    Fasso a carta e levo direto ao Ministerio do trabalho?
    Quais procedimentos devo tomar para fazer o desligamento?

    Responder

Comentário