Ser Cipeiro não é só ter estabilidade!


O cipeiro é uma figura de importância vital dentro da empresa. Conheça melhor o papel que os membros da CIPA devem desempenhar.

O surgimento das doenças e acidentes do trabalho no Brasil remonta ao trabalho árduo e sem as mínimas condições de segurança na época da exploração da mão-de-obra escrava. Após a abolição, o trabalho no campo e posteriormente nas fábricas sofreu poucas alterações nesse sentido.

A questão só passou a ser tratada com seriedade quando começaram a surgir epidemias como a febre amarela, que dizimaram trabalhadores e começaram a afetar a economia do país. Pouco depois, surgiram os movimentos sindicais, reivindicando condições dignas de trabalho, o que obrigou o governo a criar as primeiras leis trabalhistas.

Nesse contexto, em 1921 foi criada a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). Trazida ao ordenamento jurídico brasileiro em atendimento a uma recomendação da OIT, a comissão tem como finalidade zelar pela segurança dos trabalhadores de determinado estabelecimento.

⇒ Leia também: Trabalhador afastado pode se candidatar na CIPA.

Importância da CIPA

O papel da CIPA é planejar, elaborar e desenvolver programas e ações para detectar eventuais falhas de segurança antes que os acidentes aconteçam. Para isso, seus membros devem conhecer profundamente as instalações físicas da empresa, as normas de segurança do trabalho, os equipamentos individuais e coletivos de proteção, as condições físicas e psicológicas dos trabalhadores, entre outros fatores que possam ocasionar acidentes.

Uma CIPA efetiva deve ser bem treinada e engajada no dia-a-dia da empresa, analisar dados sobre incidentes anteriores para evitar que eles se repitam e principalmente, levar suas atribuições acima de amizades e hierarquias e cobrar mudanças sempre que necessário.

CIPA é coisa séria!

Muitos trabalhadores desconhecem a importância da CIPA e são atraídos a tentar um cargo na Comissão apenas para garantir estabilidade no emprego. No entanto, a falta de responsabilidade com as atividades da CIPA coloca em risco a saúde e a integridade física de todos os trabalhadores do estabelecimento.

⇒ Leia também: Responsabilidade da CIPA nos Acidentes de Trabalho.

A própria estabilidade nada mais é do que uma ferramenta para garantir que o cipeiro terá autonomia para fiscalizar e cobrar ações dos responsáveis pela empresa, sem medo de desagradar aos superiores e acabar sendo demitido.

Por isso, é fundamental que na hora da eleição os empregados escolham colegas realmente bem-intencionados, comprometidos com o bem comum e cientes do papel que devem desempenhar. O empregador também deve incentivar que a CIPA se mantenha atuante, investindo em cursos de qualificação e cobrando resultados.


Veja também

Comentários

  1. João da Mata fernandes

    Não só o empregador, ma os sindicatos que tem por obrigação de defender os direitos e a Saúde dos trabalhadores.
    Que estão mais para arrecadar e fazer farra com o dinheiro do trabalhador; como o turismo Sindical!!!

    Tá na hora do trabalhador acodrar e dizer para essa pelegada do movimento Sindical!!!!!!!

    Responder

Comentário