Uso de adornos no trabalho


Muitos empregadores proíbem o uso de adornos no ambiente de trabalho. Mas essa é uma proibição lícita? Quais os riscos para o trabalhador que a desrespeita? Confira a seguir.

O que são adornos?

Adorno é sinônimo de enfeite, ou seja, objeto com função puramente estética. São considerados adornos relógios, anéis, alianças, correntes, presilhas de cabelo, broches, piercings, gravatas, brincos e quaisquer joias, bijuterias ou acessórios de uso pessoal.

O Ministério do Trabalho também considera como adorno os crachás pendurados em cordões.

Adornos no trabalho X Acidente de trabalho

O uso de adornos no ambiente de trabalho pode causar acidentes gravíssimos, especialmente quando as atividades do trabalhador envolvem operação de máquinas industriais. Uma simples aliança pode causar a perda do dedo ou da mão inteira; pulseiras e correntes podem se enroscar nas partes móveis dos equipamentos, causando ferimentos graves, mutilação de membros ou até mesmo a morte do trabalhador.

Também oferece riscos o uso de roupas largas, com barras compridas, sapatos de salto alto ou com cadarço desamarrado, camisa ou camiseta por fora da calça, entre outros.

A empresa pode proibir o uso de adornos no trabalho?

Nas atividades em que o trabalhador manipula máquinas e equipamentos, o empregador não só pode como deve proibir o uso dos adornos, como medida de segurança do trabalho e proteção à vida e à integridade física do trabalhador.

Essa proteção está acima do direito do trabalhador de usar livremente seus pertences. É triste verificar que muitas pessoas se apegam a objetos por seu valor sentimental e se recusam a cumprir a proibição, colocando sua vida em risco.

Os adornos também são proibidos para trabalhadores das áreas de saúde e manipulação de alimentos, por questão de higiene.

Por exemplo: anéis e alianças acumulam gotículas de água e sabão após a lavagem das mãos, tornando-as um ambiente perfeito para a proliferação de microrganismos; relógios e pulseiras acumulam poeira e germes, aumentando o risco de contaminação.

A norma regulamentadora nº 32 do Ministério do Trabalho e Emprego determina expressamente que é dever do empregador da área da saúde proibir adornos no ambiente de trabalho, sob pena de multa.

No caso dos trabalhadores das áreas de saúde e manipulação de alimentos, também é proibido o uso de maquiagens, esmalte de unhas e manipulação de lentes de contato no local de trabalho.

Já para os empregados que exercem suas funções na área administrativa, deve ser observado o bom senso, tanto do empregador quanto dos funcionários.


Veja também

Comentários

  1. Givanildo Ferreira de Jesus

    Quero receber as publicações para que eu possa me aprimorar e me atualizar na área da prevenção de acidente do trabalho.

    Responder
  2. JUNIEL

    O USO DE SALTO NO AMBIENTE DE TRABALHO SE ENQUADRA NA QUESTÃO DA ERGONOMIA NO AMBIENTE DE TRABALHO. DEPENDENDO DA FUNÇÃO, DO TIPO DE CALÇADO, DA JORNADA DE TRABALHO A PESSOA PODERÁ DESENVOLVER ALGUM TIPO DE DOENÇA RELACIONADA AO ESFORÇO EXIGIDO ATRAVÉS DA POSTURA.

    Responder
  3. Magna

    Trabalho como atendente em restaurante e padaria,nao manuseio alimentos,so faço o pedido e levo até a mesa e gostaria de saber se sou obrigada a não usar a minha aliança,pois pra mim é algo que preso muito.

    Responder
  4. jussara gomes

    trabalho em um armazem,onde a unica maquina que é utilizada no local são empilhadeiras,eles podem proibir o uso do cabelo solto para as mulheres,considerando o cabelo um adorno,mesmo que eu tenha que manter uma distancia minima de 5 metros da maquina?

    Responder

Comentário