Biossegurança em Odontologia – O que é?


Biossegurança em Odontologia é um dos temas mais abordados entre estudantes e profissionais da área. A biossegurança é um conjunto de regras e normas, pré-estabelecidas para que os riscos biológicos sejam reduzidos em funções em que o profissional fica exposto, eventual ou rotineiramente, a material orgânico (exemplo: sangue, saliva, pus e dejetos).

Na Odontologia, em especial, o cirurgião dentista e sua equipe ficam rotineiramente expostos a materiais orgânicos, seja de forma direta (tocando a matéria orgânica em procedimentos cirúrgicos ou mesmo em exames clínicos) ou indireta, por meio de aerossóis produzidos pelos equipamentos rotatórios utilizados ou equipamentos e instrumentos contaminados.

⇒ Leia também: O que é Higiene Ocupacional?

Umas das medidas primárias para a precaução da contaminação é a vacinação. Todos os profissionais de saúde, sejam do corpo auxiliar (auxiliar de saúde bucal e técnico em saúde bucal) ou não, devem ser imunizados contra as principais doenças a que estão expostos.

Vacinas que todos os profissionais do serviço de Odontologia devem tomar *:

  • Vacina contra hepatite B;
  • Vacina contra febre amarela;
  • Vacina SCR (tríplice viral) contra sarampo, caxumba e rubéola;
  • Vacina BCG – ID (contra tuberculose);
  • Vacina DT (dupla adulta)contra difteria e tétano;
  • Vacina contra influenza e contra pneumococos.

*Dependendo da localização geográfica do serviço, outras vacinas podem ser necessárias, a fim de imunizar a equipe de doenças mais prevalentes na região.

Biossegurança em Odontologia e os Riscos ocupacionais

Todos os profissionais do serviço odontológico estão diariamente expostos a riscos ocupacionais, como riscos físicos, químicos, ergonômicos, mecânicos, ruídos, vibração, iluminação insuficiente ou excessiva, radiação ionizante (quanto o serviço possui equipamento de raios X) entre outros.

O cirurgião dentista é o responsável direto pela sua própria segurança e a segurança de todos os profissionais e pacientes no serviço. Em clínicas e hospitais a lei estabelece que haja um profissional, que deve ser obrigatoriamente um cirurgião dentista, que supervisione constantemente todas as atividades do local. Este é o responsável técnico.

O responsável técnico em uma clínica ou departamento de odontologia deve ter plenos conhecimentos em biossegurança, assim como das leis e normas que devem ser seguidas por todos, com risco de penalização legal e até criminal perante a justiça, em caso de descumprimento das regras. Isso pode ser compreendido se percebermos que todas as normas foram estabelecidas visando manter a saúde e qualidade de vida dos profissionais e paciente atendidos no serviço, podendo o descumprimento de uma ou várias delas levar à aquisição de doenças, ou em casos extremos a morte do(s) indivíduo(s).

EPI’s e Biossegurança em Odontologia

EPI é a sigla para Equipamentos de Proteção Individual. São eles: máscara, gorro, óculos de proteção, luvas de procedimento, jaleco, causado fechado e resistente à perfuração e máscara com filtro de 95% de capacidade de filtração de resíduos.

⇒ Saiba mais, acesse: O que é EPI?

As regras apresentadas até aqui, entre muitas outras não citadas, são regulamentadas e fiscalizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que é o órgão máximo em assuntos relacionados à saúde. Ela atua na regulamentação, controle e fiscalização das relações de produção e consumo de bens e serviços relacionados à saúde.

Além das normas de biossegurança relacionadas aos profissionais de saúde, existem também normas para o serviço em si, relativas à infraestrutura, organização, protocolos de conduta para casos de acidente com exposição a material biológico, manutenção de equipamentos e fluxo de artigos e insumos.


Veja também

Uma ideia sobre “Biossegurança em Odontologia – O que é?

Comentário